Bem-vindo, bienvenido, bienvenu, benvenuto, welcome....


Silêncio cósmico

Pudera eu regressar ao silêncio infinito,

ao cosmos de onde vim.

No espaço interestelar, vazio, negro, frio,

havia de soltar um grito bem profundo

e assim exorcizar todas as dores do mundo.

Regina Gouveia

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Não é nunca esse momento.....

Lá longe, nesse Brasil distante, faleceu hoje o meu irmão. Um dos filhos tinha chegado ontem a minha casa, acompanhado da mulher. Tentamos consolar-nos mutuamente mas, por mais que nos preparemos para estes momentos difíceis, nunca estamos preparados.
Eles saíram há pouco com o tio. Eu fiquei, porque em breve chegará o José da escola. 
Tento encontrar algum conforto na poesia e na música

Horário do Fim

morre-se nada
quando chega a vez

é só um solavanco
na estrada por onde já não vamos

morre-se tudo
quando não é o justo momento

e não é nunca
esse momento 


Mia Couto, in "Raiz de Orvalho e Outros Poemas


Com os Mortos


Os que amei, onde estão? Idos, dispersos,
arrastados no giro dos tufões,
Levados, como em sonho, entre visões,
Na fuga, no ruir dos universos...

E eu mesmo, com os pés também imersos
Na corrente e à mercê dos turbilhões,
Só vejo espuma lívida, em cachões,
E entre ela, aqui e ali, vultos submersos...

Mas se paro um momento, se consigo
Fechar os olhos, sinto-os a meu lado
De novo, esses que amei vivem comigo,

Vejo-os, ouço-os e ouvem-me também,
Juntos no antigo amor, no amor sagrado,
Na comunhão ideal do eterno Bem. 


Antero de Quental, in "Sonetos" 



5 comentários:

  1. A morte é um mistério. Ainda não consegui interiorizar que o grande amor da minha vida deixou de existir. Ando à procura de consolo na beleza da Natureza e já consigo passar um dia sem verter uma lágrima.
    Os meus pêsames, Regina. Do coração.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Virgínia.
      Sempre lidei mal com a morte mas não temos outros remédio senão aceitar.
      No domingo passado fui a Lisboa estar com uma prima minha, bastante mais velha que eu, que ficou viúva há pouco tempo (o marido era conselheiro, Fernando Brandão Ferreira Pinto, e ambos viajavam muito em passeios com magistrados pelo que eventualmente até os poderás ter conhecido). Dos 3 filhos, um deles é Pró-Reitor na Católica em Lisboa e em conversa descobri que conhece o teu irmão Mário pois já fizeram juntos algumas intervenções a propósito do aborto. O mundo é pequeno...
      Ab
      Regina

      Eliminar
  2. O nome não me é estranho. Fiz vários passeios com magistrados e gostei muito. Que saudades !
    Bjinho

    ResponderEliminar
  3. Lamento a morte de seu irmão. Foi bonita a homenagem com poemas e música.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Graça. Não pude estar presente na apresentação do seu livro. Pedi que me guardassem um e lhe pedissem para mo autografar mas ainda não tive oportunidade de ir buscá-lo à Unicepe
      Bjs
      Regina

      Eliminar